Informações Gerais

Valinhos apresenta 7% do seu território com cobertura vegetal. Esta cobertura é composta por remanescentes de Mata Atlântica, além de áreas consideradas de proteção permanente (denominadas APP). Somadas a estas áreas, Valinhos possui duas unidades de conservação estaduais de elevada importância ecológica. São elas: o Parque Estadual “Assessoria da Reforma Agrária” (ARA) e a Estação Ecológica de Valinhos (EEV).

- Parque estadual “Assessoria da Reforma Agrária” – ARA

Localizado na zona rural de Valinhos, numa área de 64,30 hectares, o parque foi constituído pelos decretos Estaduais nº 51.988, de 4 de junho de 1969, e  nº 928 de janeiro de 1973.

O objetivo da criação foi a proteção de uma parcela única de floresta rodeada de sítios onde se cultivam varias árvores frutíferas de importância econômica para a região.

O parque apresenta relevo ondulado, onde ocorre uma vegetação diversificada, em que se destacam grandes árvores, como jequitibá, peroba, canela e jatobá, características de floresta estacional semi-decidua – tipo de floresta subtropical que perde as folhas em determinadas épocas do ano.

A unidade de conservação abriga espécies da fauna regional, como papagaio, tucano, cachorro do mato, quati, guaxinim, cutia, tatu, veado, jacu, tico-tico e seriema.

A proteção do ecossistema da região também se faz presente por meio de várias pesquisas como levantamento florístico, fitossociológico e da avifauna, além de atividades de Educação Ambiental.

- Estação Ecológica de Valinhos

Criada em 12 de março de 1987, pelo decreto estadual nº 26.890, esta unidade de conservação abrange área de 16,94 hectares.

A Estação Ecológica está localizada na depressão periférica e abriga um acervo de fauna e flora ainda em condições de ser preservado para que futuras gerações possam desfrutar de os benefícios dessa paisagem para fins científicos, culturais e educacionais, além de seu valor como banco de sementes.

A estação é  de grande importância ambiental por conter um dos poucos fragmentos florestais do município de Valinhos, composto pela floresta estacional semi-decidua, em excelente estado de conservação, destacando-se em sua vegetação grandes árvores como jequitibá, peroba, jacarandá, entre outras.

Apesar de pequeno, o fragmento florestal abriga diversos representantes da fauna regional, como cutia, veado, cachorro do mato, jaguatirica, maritaca, saíra, tico-tico, seriema, pica-pau, periquito entre outras. A avifauna utiliza a unidade como abrigo para construção de ninhos e alimentação.

- Recursos Hídricos

A cidade de Valinhos possui alto potencial hídrico, com a presença de diversos cursos de água. Entre estes estão os Rios Capivari e Atibaia, o Ribeirão Pinheiros, além dos córregos Invernada, Ponte alta, Bom Jardim, Samambaia, Dois Córregos, entre outros. Somados todos os rios riachos ribeirões e córregos, Valinhos possui 91.920 metros de cursos de água.