2ª etapa de vacinação contra a pólio será neste sábado

      A segunda etapa da Campanha Nacional de Vacinação contra Poliomielite será realizada neste sábado dia 19. Inicialmente prevista para 22 de agosto, a data foi alterada pelo Ministério da Saúde para que o sistema de saúde pudesse atender com maior tranquilidade os pacientes com suspeita de gripe A. A meta é vacinar 95% das crianças menores de cinco anos. Em Valinhos, a campanha será realizada nas 13 Unidades Básicas de Saúde e em postos volantes espalhados pela cidade (confira tabela). A primeira etapa da vacinação contra pólio foi realizada em 20 de junho e atingiu 95,7% do público alvo.
     Segundo a diretora da Divisão de Vigilância Epidemiológica, Claudia Maria Santos Silva, é importante que os pais levem a carteira de vacinação da criança, pois nas Unidades Básicas de Saúde também serão aplicadas as demais vacinas do esquema básico nas que estiverem com doses em atraso. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), não há circulação do vírus da poliomielite no Brasil e em toda a América Latina. Esse resultado é uma consequência das campanhas de vacinação realizadas desde a década de 1980. Mesmo assim, é importante vacinar as crianças. “Nossa missão é garantir que o vírus da pólio continue eliminado”, afirma a coordenadora do Programa Nacional de Imunizações (PNI) do Ministério da Saúde, Maria Arindelita Arruda.
    A vacina contra a poliomielite está disponível durante todo o ano nos postos de saúde e é também oferecida durante as campanhas de vacinação de rotina. Os bebês devem receber a vacina aos dois, quatro e seis meses. Aos 15 meses, as crianças recebem o primeiro reforço. Mesmo assim, é importante que os menores de cinco anos de idade tomem anualmente as duas doses distribuídas na Campanha Nacional de Vacinação contra Poliomielite.
     Esses reforços, segundo a coordenadora do PNI, são importantes porque a poliomielite é transmitida por três tipos de vírus. Se a criança não desenvolveu a imunidade com relação a um deles, com as várias doses, ela tem oportunidade de se proteger. O Ministério recomenda, de forma sistemática, que crianças que estejam com febre ou alguma infecção procurem um médico antes de receberem as gotinhas. Sob orientação profissional, a vacinação desse paciente pode ser adiada para quando ele estiver melhor.