Câmara rejeita a antecipação de feriados para conter coronavírus

A Câmara Municipal de Valinhos rejeitou na sessão desta terça-feira (19) projeto do Executivo que previa a antecipação de feriados na cidade. O objetivo da medida era ampliar o índice de isolamento social em Valinhos com a paralisação das atividades. Dessa forma, a Prefeitura pretendia reduzir a velocidade de dissemiação da covid-19.

A Saúde tem registrado uma tendência de aumento nas notificações positivas de coronavírus nos últimos dias na cidade. Os casos chegaram nesta semana a 100. Há ainda outros 106 suspeitos à espera de resultados, com seis mortes confirmadas e duas em investigação. Ao todo, 39 pessoas estavam internadas nos hospitais Galileo e Santa Casa nesta terça-feira (19), sendo 19 em UTIs, em estado grave.

O projeto encaminhado pelo Executivo pretendia que os feriados de Corpus Christi (11 de junho) e Consciência Negra (20 de novembro) fossem antecipados para os dias 26 (terça-feira) e 27 (quarta-feira) da próxima semana. Além disso, o governo do Estado enviou projeto à Assembleia Legislativa antecipando o feriado de 9 de Julho para a próxima segunda-feira (25). Assim, Valinhos teria um feriado prolongado de cinco dias, incluindo sábado e domingo.

A rejeição dois vereadores ao projeto foi por unanimidade.

Isolamento

A maior adesão ao isolamento é a principal arma para tentar conter o avanço do número de casos da doença, que não tem remédio para tratamento e nem vacina para prevenção.

No Brasil, a terça-feira (19) marcou o recorde de casos de morte em um único dia desde o início da pandemia. Foram 1.179 óbitos e mais de 23 mil casos confirmados no país em apenas 24 horas. Só no Estado de São Paulo, no mesmo período, foram 324 mortes.

São agora quase 18 mil mortos pela doença no território nacional.

Atualmente o índice de isolamento social em Valinhos tem ficado abaixo dos 50% nos dias de semana, mas nos finais de semana a adesão aumenta. O índice ideal seria de 70%, segundo a Secretaria da Saúde.

Ciência

O objetivo da proposta da Prefeitura para antecipar os feriados era de cuidar dos doentes e evitar novas contaminações.

Segundo a Secretaria da Saúde, a decisão de enviar o projeto de antecipação dos feriados para a Câmara foi tomada com base na ciência e na medicina e tem como objetivo salvar vidas e evitar superlotação das UTIs em Valinhos.

Em outras regiões do País, associações médicas já produziram protocolos éticos e técnicos para definir critérios de acesso de pacientes com covid-19 a leitos de UTI. O aumento acelerado no número de casos faz com que cidades enfrentem filas de espera por leitos de terapia intensiva. Profissionais de saúde de estados como Amazonas, Ceará, Rio de Janeiro e Pernambuco já precisam escolher quem vai para UTI e quem fica na fila, sob risco de morte.

Só na cidade de São Paulo a taxa de ocupação dos leitos é de 88%. O Estado já notificou prefeituras de que quando não houver mais vagas disponíveis na Capital, os pacientes serão transferidos para o Interior, o que também vai provocar a superlotação.

De forma geral, as cidades que decidiram flexibilizar a abertura do comércio têm sido acionadas pelo Ministério Público e estão sendo forçadas a recuar.

Um plano para a retomada da economia está sendo discutido com as entidades que representam o comércio, a indústria e o setor de serviços. No entanto, não existe plano para recuperar vidas. Quanto mais o isolamento social for respeitado, mais rápido Valinhos vai sair da crise.

 

20/05/2020