Censo da pessoa com deficiência vai até o próximo dia 13

     O primeiro censo para apurar o número de pessoas com deficiência no município termina no próximo dia 13, sexta-feira. Até esta data, os formulários preenchidos poderão ser depositados nas mais de 100 urnas espalhadas pelas repartições públicas, supermercados, escolas e comércio. O levantamento é uma realização do Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência de Valinhos e visa levantar dados para o desenvolvimento de políticas públicas.
    Segundo o secretário de Desenvolvimento Social e Habitação, Marcio Ferreira, a CPFL (Companhia Paulista de Força e Luz) está finalizando esta semana a entrega dos 40 mil formulários junto às contas de energia. Assim as pessoas que ainda não receberam o material terão mais uma semana para preenchê-lo.
    O formulário também pode ser encontrado em repartições públicas, supermercados, hospitais e empresas. No site www.valinhos.sp.gov.br o material está disponível para impressão, e formulários em braile poderão ser requeridos na Prefeitura. Após o recolhimento das urnas, a Rede Anhanguera de Educação fará a compilação das informações.
    Conforme a presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Regina Augusta Donadelli, a meta é utilizar as informações deste formulário para formar um banco de dados que auxiliará a Prefeitura e outras organizações na elaboração de políticas públicas de atendimento e inclusão social.
O censo conta apoio da Prefeitura, do Ministério Público, do Governo do Estado de São Paulo, entidades assistenciais e várias empresas.

Conselho
    A presidente do Conselho disse que a criação do Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência era uma reivindicação antiga na cidade. Em dezembro de 2006, um grupo formado por pessoas com deficiência, familiares e amigos se reuniu com o prefeito Marcos José da Silva para entregar uma pauta de reivindicações, entre elas a criação de um órgão de defesa da pessoa com deficiência. O grupo vinha tentando desde 1998 ter suas reivindicações atendidas, mas só naquela ocasião foi recebido com o comprometimento de um estudo sobre o caso. Após estudos e resolução das questões técnicas, o Conselho foi criado em 2007.