Chocolate varia de preço em até 113% na Páscoa, diz Procon

Consumidor deve ficar atento a informações sobre o produto e também fornecedores

O Procon Valinhos constatou variação acentuada nos preços de chocolate às vésperas da Páscoa, que chega até a 113%, nos estabelecimentos comerciais da cidade. A pesquisa foi feita na semana passada. Além dos chocolates, o Procon alerta os consumidores para ficarem atentos à qualidade dos peixes que serão consumidos na Semana Santa. 

A pesquisa foi feita em oito estabelecimentos comerciais da região central e em mais dois mercados de bairros. Segundo a pesquisa, o preçoa da caixa de bombons da Nestlé variou de R$ 6,99 a R$ 14,90, 113% de diferença. O ovo de Páscoa sonho de valsa de 330 gramas foi encontrado por valores que variaram de R$ 39,99 a R$ 45,90, 15%. 

“O consumidor deve ficar atento aos preços e à qualidade dos produtos”, alerta a diretora do Procon Valinhos, Vilma Albuquerque. Segundo ela, é preciso pesquisar preços antes de efetuar a compra, o que pode gerar grande economia. “Também devem ser observado rótulos, validade, condições de embalagens, assim como a composição do produto", afirma. 

No caso dos produtos caseiros, também é necessário estar atento a preço, qualidade e e a regularidade do fornecedor. “O fornecedor artesanal, quando legalmente estabelecido, é obrigado a emitir nota fiscal”, lembra a diretora. Ela não recomenda aquisição de produtos de fornecedores infomrais. 

“Caso seja o desejo do consumidor, sugerimos que procure conhecer primeiramente a cozinha do local, antes de adquirir qualquer produto”, orienta, lembrando que o comprador também deve solicitar um recibo.

Quem costuma deixar a compra para a véspera da Páscoa deve lembrar que ovos de chocolate quebrados e embalagens amassadas geralmente são vendidos baratos. “São inclusive colocados em bancas de promoção, momento em que perde parte da garantia”, explica a diretora.

Peixes

A compra de peixes deve ter atenção redobrada. “No caso de produtos frescos, verifique com atenção as características. Eles devem ter boa aparência. Caso os peixes apresentarem manchas avermelhadas ou pintas pretas no dorso, não compre”, recomenda Vilma.. Segundo a diretora, é sinal de bolor, impróprio para consumo. Os peixes devem estar frescos e conservados em balcão frigorífico ou gelo, possuir olhos brilhantes e escamas bem presas ao corpo.

 

15/04/2019