Educação promove curso sobre acuidade visual do aluno

Objetivo é treinar coordenadores e professores para identificar estudantes com problemas de visão

Coordenadores pedagógicos do 1º ao 5º ano das escolas da Rede Municipal de Ensino de Valinhos estarão reunidos na próxima terça-feira (18) para debater os problemas da acuidade visual (AV) que afetam as crianças no período escolar.  O objetivo é qualificar coordenadores e professores para identificar alunos que apresentam problemas de visão, para que sejam atendidos.

O encontro, organizado pelo secretário de Educação, Zeno Ruedell, será ministrado por profissionais da Secretaria de Saúde no Centro de Treinamento da Saúde (CETS), na Rua Bahia, 40, na Vila Santana, a partir das 8h30.

A dificuldade de enxergar direito em sala de aula é um dos problemas que afetam o aprendizado e a assimilação de conteúdo por parte das crianças, aponta o Ruedell. Segundo ele, a principal preocupação da Secretaria de Educação é o desempenho dos alunos em sala de aula e, para isso, foram firmadas parcerias com a Secretaria de Saúde para que o corpo docente tenha  informações necessárias para identificar problemas de visão e outros problemas de saúde dos estudantes.

“Quanto mais cedo identificarmos as crianças com problemas de visão, mais cedo elas podem começar o tratamento e o prejuízo no aprendizado é amenizado”, destacou o secretário. Segundo ele, a saúde do estudante também é foco da Secretaria e é necessário que os professores estejam treinados e capacitados para identificar essas crianças logo no início do ano letivo.

A diretora pedagógica da Secretaria de Educação, Ana Angélica Júlio, afirmou que é importante que o professor em sala de aula saiba identificar quando uma criança está tendo problemas de acuidade visual, a aptidão do olho para distinguir detalhes espaciais, forma e contorno dos objetos.

“Há muitos casos de crianças que sofrem com esse problema e, por medo ou vergonha, não conseguem falar para o professor. Muitas passam grande parte do período escolar, e mesmo em casa, sofrendo com problemas de visão que podem se agravar caso não sejam identificados”, explicou a diretora.

 

11/02/2020