Fortes chuvas fazem Valinhos manter estado de atenção

As fortes chuvas que desde o dia 2 de janeiro vêm atingindo toda a região têm levado preocupação às autoridades e, como em Valinhos, outras 15 cidades da RMC (Região Metropolitana de Campinas) estão em estado de atenção. Em Valinhos a condição foi declarada pela Defesa Civil do município, órgão da Secretaria de Defesa do Cidadão da Prefeitura, no segundo dia do ano, quando foi registrado o índice de 91 milímetros de chuva, o que já é considerado além do normal. Para que uma cidade declare estado de atenção, é necessário o registro de 80 milímetros de água acumulada com as chuvas em três dias.
É importante destacar que até esta sexta-feira, dia 13, ou seja, em doze dias, a medição feita pelo pluviômetro localizado no Parque Municipal “Monsenhor Bruno Nardini” aponta na cidade o índice de 762 milímetros, superando em mais de 66% o volume que choveu nos 31 dias de janeiro de 2010, quando foi registrado 459 milímetros. “Felizmente, mesmo com este alto índice pluviométrico não foram registradas ocorrências de maior gravidade”, afirma o diretor do órgão, Eduardo Matias.
Matias destaca que o município não registra vítimas em função das chuvas e também não tem famílias desalojadas e nem desabrigadas. “Estamos, no entanto, alertas, monitorando toda a cidade e pedimos a ajuda da população para que ao sinal de problemas, nos ligue nos telefones 3859-2055 ou no 199 e informe para que possamos agir da maneira mais rápido possível”, complementa.
Segundo o diretor da Defesa Civil, a previsão do IPMET (Instituto de Pesquisa Meteorológica) é de que as chuvas fiquem ainda mais fortes a partir deste sábado, dia 15, em Valinhos e em toda a região. Matias comenta que as chuvas que vêm ocorrendo em várias cidades do Estado de São Paulo têm causado alagamentos de vias e transbordamentos de córregos e rios e enchentes. “No entanto, felizmente, mesmo sendo uma das cidades na qual mais caiu da RMC chuva Valinhos não registra ocorrências graves. Isso se deve a obras realizadas pela administração municipal nos principais córregos da cidade e limpezas de boca de lobo já prevenindo situações causadas pelo excesso de chuva nesta época do ano”, ressalta Matias.

Secretarias Municipais e DAEV participam de reunião preventiva

A Defesa Civil, órgão ligado à Prefeitura, realizou no dia 2, na Sala Ivan Fleury Meirelles, uma reunião com todas as secretarias, com o DAEV (Departamento de Águas e Esgotos de Valinhos) e também empresas ligadas o PAM (Plano de Auxílio Mútuo). O objetivo foi estabelecer um plano de contingência para que a administração municipal esteja preparada para dar uma resposta em caso de situação de emergência, como temporais, enchentes e deslizamentos de terra, frequentes nesta época do ano.“Essa reunião foi preventiva em função das ocorrências de chuvas fortes e frequentes na região e em todo o Estado”, ressalta o diretor da Defesa Civil, Eduardo Matias. Ele informa que em casos de emergência o munícipe pode entrar em contato pelos números 199 (Defesa Civil) ou 193 (Corpo de Bombeiros).

Chuvas causam estragos nas vias públicas

A Prefeitura de Valinhos, por meio da Secretaria de Obras Públicas, está trabalhando muito para minimizar os estragos nas vias públicas provocados pelas chuvas dos últimos dias. Segundo o secretário da pasta, José Antonio Francisco Alves, uma equipe de operação tapa-buraco está permanentemente nas ruas para realizar os reparos emergenciais. “Como a malha viária de Valinhos é muito antiga e já está bastante desgastada, os buracos nessa época de chuva surgem em todos os cantos”, disse. Só para citar algumas ruas onde o problema é mais grave, destaca-se as avenidas Ademar de Barros, Dom Nery e as ruas Alfredo Zacharias, Azaléia e Clark
A Secretaria de Obras Públicas também não vence fazer manutenção emergencial nas estradas de terra. As vias com mais erosão são do Parque Valinhos, São Bento do Recreio, Country Club, Joapiranga e Rua Carlos Carvalho Vieira Braga. As solicitações para reparos em estradas podem ser feitas pelo 156.

Alagamento
A Rua Geraldo de Gásperi, entre o heliponto e a Rodovia Comendador Guilherme Mamprim, está registrando alagamento desde o início do ano devido ao entupimento de uma tubulação. Segundo o secretário de Obras, já foram feitas várias tentativas para desentupir a galeria com hidrojato, mas nenhuma delas teve sucesso. Atualmente a Prefeitura está bombeando a água para secar o local, porém as chuvas têm atrapalhado o trabalho e a cada pancada a situação fica mais preocupante. Quando a área estiver seca, técnicos vão entrar na tubulação para verificar o que está causando a obstrução, para tomar as providências necessárias.

Erosão
A Secretaria de Obras está monitorando erosões nos córregos Invernada e Mathias e em área verde do Parque Portugal. Uma travessia de pedestre na praça do Jardim Centenário caiu por conta da chuva e a Prefeitura está aguardando o tempo melhorar para a reconstrução. A Rua Ignácio Pregentino de Aquino, na Chácara São Bento, está interditada por conta do rompimento de uma tubulação, que danificou o asfalto.