Fundo Social inicia cursos de geração de renda e emprego para mais 380 pessoas

S5030043O Fundo Social de Solidariedade de Valinhos, presidido pela primeira-dama, dra. Adriana Di Nardo Silva, deu início esta semana a sete cursos gratuitos oferecidos neste primeiro semestre. Cerca de 380 pessoas participam dos cursos de Inclusão Digital, padaria artesanal, confeitaria, artesanato em bordado e decoupage, confecção de patchwork e bonecas e de corte e costura. A grande novidade do semestre é o curso de cozinheiro, oferecido pela primeira vez. Além destes, terá início em maio o curso de organização de guarda-roupas e peças organizadoras. As aulas integram o programa de capacitação profissional e geração de renda e emprego do Fundo que desde 2005, na administração do prefeito Marcos José da Silva, formou cerca de 4.700 pessoas em mais de 80 capacitações.

Do total de participantes deste semestre, 280 fazem aula de Inclusão Digital, cujo programa está na 13ª etapa e já formou mais de 2.600 pessoas nos últimos seis anos. No curso de informática estão inscritos de crianças a idosos, sendo que nesta etapa há também uma turma especial com participantes do Programa do Idoso da Prefeitura, e uma com alunos da APAE (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais). Dra. Adriana esteve presente nesta segunda-feira, dia 14, do primeiro dia de aula dos alunos que fazem o curso no CATIS (Centro e Acesso a Tecnologias para Inclusão Social) – Estação Informática. No local há um moderno laboratório de informática que funciona no Parque Municipal "Monsenhor Bruno Nardini" e foi implantado em outubro de 2009 com recursos do Ministério da Ciência e Tecnologia e contrapartida da Prefeitura. Depois, dra. Adriana visitou os participantes do curso de confeitaria na cozinha experimental do Fundo na Casa do Adolescente.

"Quero parabenizar todos vocês por terem a vontade de participar destes cursos e de se capacitar. O importante é aproveitar tudo o que eles podem proporcionar. E é esta a função do Fundo. Atuar com responsabilidade social e desenvolver a cidadania. Digo sempre que tenho o privilégio de ser pela terceira vez presidente do órgão e de atuar dentro desta proposta, sempre com o incentivo e apoio do prefeito Marcos", disse dra. Adriana, ao ressaltar que o programa de capacitação profissional cria oportunidades e ferramentas para que as pessoas possam disputar vagas no mercado de trabalho com maior qualificação.

"E é com este objetivo que estamos sempre de olho em novos segmentos e buscamos oferecer cursos diferenciados, como o de cozinheiro que pode ser feito por homens e mulheres. Este profissional está em falta", comenta. O curso de cozinheiro tem aulas práticas e teóricas, com duas aulas semanais por três meses, sobre conceitos básicos de higiene, medidas, manipulação, cortes, armazenamento e distribuição, além de planejamento do cardápio, montagens de pratos e saladas.

Dra. Adriana complementa que já no segundo semestre, em uma nova etapa de inscrições, a intenção é oferecer outro curso novo, de garçom, que também é bastante procurado. A presidente do Fundo Social destaca ainda que o programa de qualificação profissional promovido pelo órgão é referência no Estado e para outros Fundos da região como exemplo de projeto de responsabilidade social.

Oportunidade

Aos 78 anos de idade, Iole Petinari Bontempi, que faz Faculdade da Terceira Idade na FAV e hidroginástica, não perdeu tempo ao se inscrever em mais um curso, o de Inclusão Digital do Fundo Social. "Quero aprender a mexer na internet para me corresponder com as pessoas. E esta é uma ótima oportunidade. Estou gostando demais, nem tenho dificuldade! É um curso para pessoas de qualquer idade e faz bem para a cabeça", disse entusiasmada.

A aluna do curso de confeitaria, Aparecida Gonçalves de Lima, 44 anos, também está contente com a oportunidade. "Trabalho há um bom tempo como faxineira e meu marido está afastado do serviço por motivo de saúde. Vejo neste curso uma opção de aprender um trabalho novo, tanto para fazer os confeitos em casa e ganhar um dinheiro extra, quanto para trabalhar em alguma padaria e ter um registro em carteira e salário", contou.

 

Aulas

Os cursos do Fundo Social são realizados em vários polos de formação. Além do CATIS, o de Inclusão Digital é ministrado nos laboratórios de informática das EMEBs (Escola Municipal de Ensino Básico) dos bairros Capivari, Reforma Agrária, Parque das Colinas e Parque Portugal.

Já as demais capacitações são na Casa do Adolescente, onde o Fundo Social mantém uma cozinha experimental para a realização dos cursos de culinária, padaria artesanal e cozinheiro. Além disso, na Casa do Adolescente há salas do Fundo especialmente montadas para aulas de corte e costura, artesanato e de organização de armários e peças organizadoras.