Fundo Social tem vagas para curso de empregada doméstica

       O Fundo Social de Solidariedade de Valinhos tem 12 vagas para o curso de empregada doméstica, promovido pelo órgão e ministrado pelo SESI (Serviço Social da Indústria). O curso será realizado aos sábados pela manhã, das 8 às 12 horas, nos meses de setembro e outubro, no Espaço Adoniran Barbosa, no parque Municipal Monsenhor Bruno Nardini, e integra o projeto de capacitação profissional e geração de renda desenvolvido pelo órgão na administração do prefeito Marcos José da Silva. Cerca de 4.500 pessoas já foram beneficiadas pelo projeto que oferece cursos gratuitos em diversas áreas desde 2005.
        Apenas moradores de Valinhos podem participar. As inscrições devem ser feitas na sede do órgão (Rua José Milani, nº 258, Centro – em frente ao Cartório), das 8h30 às 11h30 e das 13h30 às 16h30. Os interessados devem apresentar, impreterivelmente no ato da inscrição, cópias do RG e comprovante de endereço,  comprovantes de renda familiar, além de pagar uma taxa de R$ 15 para a aquisição de material didático. Outras informações podem ser obtidas na sede do Fundo ou pelos telefones 3871-2988 e 3849-4000.
       Segundo a presidente do Fundo, Terezinha Moysés, o curso é realizado em oito sábados,  para facilitar a participação das pessoas que trabalham durante a semana. As aulas são ministradas em três módulos: habilidades básicas, que irá tratar sobre o papel profissional e social do empregado doméstico, além de dicas para entrevista de emprego, apresentação pessoal e padrão de qualidade no serviço; habilidades específicas, que irá tratar entre outras coisas do planejamento, organização e administração dos serviços; habilidades de gestão que ensinará sobre cidadania e previdência social, além de noções de sindicalismo e cooperativismo. O telefone para informações é 3871-2988.
        “A capacitação para empregada doméstica é hoje uma necessidade apontada por este grande mercado de trabalho e visa contribuir para a valorização do trabalhador por meio da qualificação e do desempenho do seu papel social e profissional, tornando-o consciente de seus direitos e deveres”, diz a presidente do Fundo.

Outros cursos
         O Fundo deu início este mês a outros cursos como o de confecção de bijuterias, corte e costura, confeitarias básica e fina, além do programa de Inclusão Digital que desde 2005 já formou mais de 2.500 pessoas. “A partir de 2005, quando o prefeito Marcos assumiu a Prefeitura, o Fundo Social passou por uma reformulação, deixando de ser meramente assistencialista e desenvolvendo esse trabalho que visa oferecer ferramentas às pessoas que estão em busca de melhores oportunidades no mercado de trabalho ou aumentar a renda familiar. Não deixamos de prestar o socorro emergencial, mas queremos que as pessoas que nos procuram tenham novas oportunidades”, destaca Terezinha.