GCM aborda 150 pessoas em aglomeração no Alpinas

A Guarda Civil Municipal (GCM) de Valinhos realizou operação na região do bairro Alpinas, no fim de semana, para coibir aglomeração de pessoas, depois de receber denúncia de moradores. Ao menos 150 pessoas foram abordadas nas proximidades da antiga pedreira, onde veículos estavam estacionados, e orientadas a deixar o local. A operação aconteceu entre o fim da tarde de sexta-feira (19) e o sábado (20). Não houve apreensões e ninguém foi detido.

A GCM tem realizado operações em várias regiões da cidade para coibir aglomerações de pessoas em locais públicos na prevenção ao coronavírus, entre eles quadras esportivas e praças. No fim de semana, a equipe da GCM recebeu denúncias pelo telefone 153 sobre a região do Alpinas.

“Além da aglomeração, fomos informados de que no local havia pessoas usando entorpecentes e perturbação de sossego. Começamos a operação no final da tarde de sexta-feira, no dia 19, e prosseguimos no sábado, dia 20, durante o dia, a noite e também de madrugada. O intuito foi coibir ações criminosas, localizar drogas e armas e dissipar as aglomerações”, disse o comandante da GCM, Sidnei Aureliano.

Segundo o comando da GCM, a maioria das pessoas abordadas na operação no Alpinas foi moradores de outras cidades, como Itatiba, Vinhedo, Campinas, Indaiatuba e Hortolândia. Entre os averiguados, alguns tinham passagens criminais como roubo, furto, tráfico de drogas e estupro, com penas cumpridas.

“Todas as medidas preventivas estão sendo realizadas dentro da legalidade. Caso a materialidade dos crimes seja detectada, seus autores serão conduzidos até a delegacia, veículos que estiverem irregulares serão autuados e guinchados se necessário”.

O comandante Aureliano explicou que a GCM optou por orientar as pessoas abordadas na operação do fim de semana, mas disse que podem ocorrer multas e até prisões caso a aglomeração se repita, por se tratar de crime em situação pandêmica.

“Pelo artigo 268, também do Código Penal, infringir determinação do poder público, destinada a impedir introdução ou propagação de doença contagiosa, pode resultar em pena de detenção de um mês a um ano e multa pertinente, o que se aplica atualmente em razão da pandemia da covid-19”, explicou o comandante.

Segundo Aureliano, as operações no local e em toda a cidade continuarão sendo realizadas. “Vamos continuar averiguando principalmente aos finais de semana de dia, noite e madrugadas. Aqueles que forem surpreendidos em aglomerações podem ser multados, detidos e ainda responder criminalmente por invasão a propriedade particular, com agravante se for cometido durante a noite, em lugar ermo, com o emprego de violência, uso de arma ou por duas ou mais pessoas”, alertou.

 

22/06/2020