Índice de isolamento social fica em 47% na quinta em Valinhos

Região de Campinas, onde está Valinhos, é considerada zona vermelha pelo Governo do Estado pelo baixo índice de isolamento e contaminação da doença

O índice de isolamento social em Valinhos se manteve nesta quinta-feira (7) em 47%, segundo dados do Sistema de Monitoramento Inteligente, da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico. O índice é um ponto percentual menor que o registrado na segunda-feira (4), quando estava em 48%, e 12 pontos percentuais mais baixo que no domingo, quando chegou a 59%.

O resultado freia a sequência de números acima de 50% registrada na cidade desde sexta-feira (1), feriado do Dia do Trabalho, em que o índice ficou em 56%. No sábado (2) o índice foi de 53%. Entretanto, na quinta-feira anterior ao feriado (dia 30/4), Valinhos registrou o menor isolamento desde 21 de março, antes do início da quarentena: 46%.

O Governo do Estado informou nesta sexta (8) que aceleração acentuada da contaminação por coronavírus em São Paulo coincide com a queda nos índices de isolamento social em todo o Estado.

A média paulista chegou a 47% na quinta (7), assim como a de Valinhos, muito longe da taxa considerada ideal, de 70%, e abaixo do mínimo de 55% estipulado como nova meta pelas autoridades em saúde.

O Estado de São Paulo tem nesta sexta 39,9 mil casos confirmados e 3,2 mil mortes. Valinhos tem 53 casos confirmados e cinco mortes, sendo 37 casos em Valinhos, com três mortes, e 16 de outros municípios, com duas mortes, pessoas atendidas em Valinhos porque têm ligação com a cidade.

O governo de São Paulo está classificando as regiões do Estado como zona vermelha (maior risco), amarela (risco elevado) e verde (menor risco) para determinar o isolamento social e índices de contaminação. A região de Campinas, onde está Valinhos, é considerada zona vermelha, assim como a região metropolitana de São Paulo e a Baixada Santista.

A taxa de isolamento 70%, segundo o Governo do Estado, é a ideal para evitar uma disparada nos casos de contaminação, o que pode comprometer todo o sistema de saúde. De acordo com os números, a adesão dos valinhenses é maior aos fins de semana.

A central de inteligência analisa os dados de telefonia móvel para indicar tendências de deslocamento e apontar a eficácia das medidas de isolamento social. Com isso, é possível apontar em quais regiões a adesão à quarentena é maior e em quais as campanhas de conscientização precisam ser intensificadas, inclusive com apoio das prefeituras.

 

08/05/2020