Obra elimina risco de falta d'água na região do Parque Valinhos

O DAEV (Departamento de Água e Esgotos de Valinhos) inicia em duas semanas as obras de interligação da estação elevatória de água ao sistema público de abastecimento no Parque Valinhos. Na prática, a obra vai garantir a segurança no abastecimento de água dos moradores e eliminar o risco de falta de água no bairro.

A realização da obra segue orientação do Plano Diretor de Abastecimento de Água e do Plano Municipal de Saneamento Básico, que recomenda a interligação dos sistemas isolados às estações de tratamento de água da cidade.

A interligação da estação elevatória de água do Parque Valinhos será feita junto ao sistema de distribuição do reservatório Colinas dos Pinheiros/ETAII.

Segundo explicou o presidente da autarquia, Ricardo Gardin, a obra irá garantir maior segurança hídrica às 174 ligações do bairro em caso de eventuais problemas no abastecimento de água pelo poço profundo.

“Serão 1.560 metros de rede interligada, com um custo de R$168.000,00. A obra já foi licitada pelo DAEV. Neste mês emitimos a ordem de serviço e a previsão é de que os trabalhos comecem em cerca de 15 dias”, adiantou Gardin.

“A utilização da água do reservatório do Colina dos Pinheiros, abastecido pela ETA II, por parte dos moradores do Parque Valinhos só ocorrerá no caso de faltar água do poço. O caminho contrário, da água deste poço abastecer outras regiões da cidade, não é possível. É um obra com objetivo de prevenção e segurança no abastecimento do bairro, uma vez que se tiver um problema com o poço, o DAEV terá que apoiar com caminhão pipa e o custo pode ser maior que da obra”, destacou Gardin. 

Segundo ele, esta obra também possibilitará abastecer o Centro de Zoonoses, que hoje é abastecido com caminhão pipa e está localizado na Alameda das Mangueiras, no Parque Valinhos. 

De acordo com o diretor de Planejamento, Obras e Fiscalização do DAEV, João Paulo Damiano, assim que as obras forem concluídas, num prazo estimado de 30 dias a partir do seu início, os moradores passarão a contar com um sistema público de abastecimento alternativo. 

“Em caso de problemas de bombeamento no poço profundo, que é o principal sistema do bairro, diminuição da vazão da água ou durante manutenções, o bairro passará a contar imediatamente com o fornecimento de água, sem interrupções. Antes, se isso acontecesse, seria necessário o abastecimento por caminhões pipa”, disse o diretor.

03/06/2020