Prefeitura inaugura Ala Feminina da Casa de Acolhimento

Espaço passa ter capacidade para acolher 25 homens e cinco mulheres em situação de rua

A Prefeitura de Valinhos inaugura nesta sexta-feira (20), às 10h, a Ala Feminina da Casa de Acolhimento e Passagem do Joapiranga, localizada na Alameda Itaipu, 451. Segundo a secretaria de Assistência Social, Dulce Maria de Paula Souza, o espaço passa ter capacidade para acolher 30 pessoas em situação de vulnerabilidade social, 25 homens e cinco mulheres.

A secretária ressaltou que, juntamente com a construção da ala feminina, a Casa de Passagem também recebeu adequações nos últimos dois meses, algumas delas em cumprimento às exigências da Secretaria da Saúde. “Foram feitas reformas das paredes do refeitório, do escritório, da sala de atendimento, da cozinha. Construímos uma dispensa para o armazenamento de material de higiene e realizamos melhorias em dois quartos e duas salas de Terapia Ocupacional”, disse.

Dulce comentou que nesta segunda-feira (16) a nova ala recebeu os últimos retoques, com a colocação de pia e mobília. Na Oficina de Terapia Ocupacional, o trabalho foi intenso para a finalizar a exposição de projetos feitos pelos acolhidos, que será aberta na ocasião da inauguração.

Entre os trabalhos expostos estão vasos e garrafas produzidos com a técnica de decoupage, recorte e colagem de papel decorado para revestir um objeto, que pode ser de vidro, metal, madeira ou tecido. Um pallet foi transformado em floreira para plantas suculentas e será instalado no dia da entrega da Ala Feminina. Os visitantes poderão apreciar a árvore de Natal feita com material reciclado e pinhas.

ACOLHIMENTO

Há cerca de cinco meses a Casa de Passagem e Acolhimento do Joapiranga é administrada pela ONB Reencontro,  especializada em acolhimento de pessoas em situação de rua que buscam ressocialização. A coordenadora do local, Kátia Silva, disse que o acolhimento obedece a critérios bem definidos. Entre eles, a adesão da pessoa em situação de rua à proposta de construção do processo de saída das ruas. 

A coordenadora destacou que o serviço oferecido pela Prefeitura com a manutenção do abrigo serve de apoio para aquelas pessoas que estão passando por momentos difíceis e chegaram ao ponto de morar nas ruas. “Aqui, como o próprio nome já diz, é uma casa de passagem para que as pessoas possam ter a chance de recomeçar e ter uma nova perspectiva de vida”, concluiu.
 

17/12/2019