Procon de Valinhos orienta condutores de escolares

Órgão foi acionado por moradores que questionam o pagamento integral da mensalidade e sugere acordos

Condutores de vans escolares se reuniram nesta terça-feira (14) com a diretora do Procon de Valinhos, Vilma Albuquerque, para tratarem das mensalidades do transporte dos alunos a partir do mês de maio, caso as aulas não sejam retomadas pelas redes municipal, estadual e particular de ensino.

No encontro, a diretora do órgão informou à categoria que pais de alunos estão questionando e pedindo informações junto ao Procon sobre o direito de não pagar pelo serviço dos condutores enquanto for mantido o período de quarentena.

O objetivo do Procon é manter o equilíbrio nas relações de consumo, neste caso na prestação dos serviços oferecidos pelos condutores aos escolares. De certa forma, endente-se que não havendo a prestação de serviço, o pagamento em tese pode ser interrompido, mas, neste caso de pandemia, o bom senso e o consenso entre as partes devem sempre prevalecer. Vocês devem se unir e conversar com seus clientes para um acordo que seja bom para ambos os lados”, destacou a diretora.

Segundo os condutores presentes na reunião, alguns representados pela ACEV (Associação dos Condutores de Escolares de Valinhos), o contrato firmado é de 12 meses, mas diante da interrupção dos serviços, esperam um acordo que não os prejudique financeiramente.

Para os pais com dificuldade em pagar a mensalidade, caso a caso, procuramos até rever a forma ou protelar o pagamento. Assim como várias outras categorias, fomos pegos de surpresa com a interrupção das aulas, mas somos favoráveis em estabelecer um acordo que seja bom para todos”, disse a presidente da ACEV, Fabiana Buttignoli Vieira.

Ficou estabelecido pelo grupo a possibilidade de oferecer um desconto de 25% nos pagamentos a partir de maio caso seja mantida a interrupção das aulas. “Vamos criar um grupo pelo WhatsApp para reunir a categoria, com cerca de 200 condutores, e colocar em votação este desconto de 25%”, adiantou a representante da Associação.

A diretora do Procon achou a sugestão do desconto razoável e vai aguardar um novo posicionamento dos condutores. “O Procon não está determinando o desconto oferecido pelos condutores, mas buscando junto à categoria e seus clientes uma conciliação antecipada como proposta de negociação”, destacou Vilma. Segundo ela, os pais dos escolares que mantem os contratos podem ou não acatar o desconto.

 

14/04/2020