Projeto de Orientação Postural é levado para as escolas municipais

Programa avalia os estudantes e orienta sobre como evitar problemas de coluna no futuro

A Prefeitura de Valinhos deu início este ano ao Projeto de Orientação Postural nas escolas da Rede Municipal de Ensino, depois do projeto piloto realizado no final de 2018, na Escola Municipal de Educação Básica (EMEB) André Franco Montoro, no Bom Retiro. A iniciativa é uma parceria das secretarias de Educação e Saúde, através do Departamento de Programas e Projetos.

O projeto, coordenado pelas fisioterapeutas Giovana Barduchi e Luciana Martina de Souza Magalhães, nasceu da observação a crianças atendidas na fisioterapia e que apresentam problemas sérios de coluna e dores não condizentes com a idade.

“Foi dessa observação, e por sabermos que parte dessas crianças estuda em nossas escolas, é que resolvemos apresentar o projeto. É uma forma de contribuirmos, dentro do processo de educação e conscientização, para que no futuro essas crianças não venham a apresentar problemas mais sérios de saúde por conta de postura errada”, explicou Giovana.

No dia 8 deste mês, as duas estiveram, juntamente com a professora Fabiani Cristinia de Souza, coordenadora da área de Educação Física da Secretaria de Educação na EMEB Carlos de Carvalho Vieira Braga, no Jardim Pinheiros, a primeira escola a ser visitada dentro do projeto.

A equipe, que conta ainda com o ortopedista Rogério Fernandes como médico de referência, irá visitar duas escolas por mês. A meta em 2019 é atender 950 crianças de 8 a 9 anos dos terceiros anos.

“A correção de postura nessa idade, entre 8 e 9 anos, trará para essa criança muitos benefícios no futuro, pois se a postura errada não for corrigida, ela pode chegar à vida adulta com problemas crônicos. Há situações que podem ser percebidas visualmente e que, muitas vezes, nem mesmo o pediatra consegue detectar, porque é algo que naquele momento não dói, não incomoda”, explicou Luciana.

Entre os problemas que na vida adulta podem deixar sequelas Luciana cita desvio de coluna, escoliose, posição inadequada do joelho, pés e cabeça. Segundo ela, essa é uma idade em que as crianças começam a ter consciência e dão importância às orientações que recebem.

Reação positiva

A fisioterapeuta destacou que a aceitação foi muito positiva parte das crianças e dos seus pais ao projeto. A professora Edna M. H. K. Mori, diretora da EMEB Carlos de Carvalho Vieira Braga, disse que a iniciativa também foi bem recebida pelos professores, que na primeira etapa do Projeto participaram de uma palestra com as fisioterapeutas.

As informações e orientações ajudarão os professores em sala de aula a detectar posturas inadequadas das crianças. “O projeto foi muito bem recebido e acreditamos que ele irá trazer inúmeros benefícios para nossas crianças”, disse a diretora.

“Mais que educar com qualidade, queremos que nossas crianças também possam desfrutar de boa saúde e o programa que nós abraçamos com a Secretaria da Saúde é um exemplo de que podemos mudar e melhorar a qualidade de vida de centenas de crianças que são atendidas em nossas unidades escolares”, disse o secretário de Educação, professor Zeno Ruedell.

No segundo momento do Projeto, as fisioterapeutas vão até a escola para realizar a avaliação postural. Nessa etapa, os alunos recebem informações sobre postura, como a maneira correta de sentar e levantar a mochila.

Já os pais recebem um informativo específico da avaliação do filho onde há três situações em que ele pode estar enquadrado:  o aluno não apresenta alterações que justifique acompanhamento especializado, apresenta discretas alterações posturais que merecem observação e reavaliação no período de um ano, ou apresenta alterações passíveis de acompanhamento por profissional.

“Nesse material há muita informação relacionada à questão postural e, alguns dos problemas detectados podem ser corrigidos através de mudanças simples de hábito, como sentar, a forma de carregar a mochila, inclusive a com rodinhas, e uso do celular. Em alguns casos vamos orientar o encaminhamento para um especialista para uma melhor avaliação”, explicou Giovana.

Na terceira etapa, é realizada uma palestra para as crianças em que  são apresentadas mais informações e, de forma colaborativa e interativa elas são orientandas a mudar algumas posturas corporais.

“Essa é uma maneira delas absorverem de fato as orientações, porque mostramos na pratica como devem corrigir a postura e algumas até mesmo começam a corrigir amigos na escola e pessoas da família”, comentou Luciana.

Para a psicóloga e diretora do Departamento de Programas e Projetos da Secretaria de Saúde, Greta Barduchi, a parceria com a Secretaria de Educação num projeto dessa natureza pode trazer inúmeros benefícios diretos para as crianças e indiretos para a própria saúde pública. “A escola é o melhor lugar para se fazer a promoção da saúde”, disse.

 

DICAS:

Como sentar corretamente na carteira

- Manter o apoio de toda coluna no encosto da cadeira

- Manter os pés apoiados no chão

- Manter os cotovelos apoiados na carteira

- Sentar de frente para a lousa

 

MOCHILAS

- Devem ter 10% do peso da criança

- Na hora de organizar o material, deixe o que for mais pesado próximo ao corpo na parte de trás da mochila, para que o peso não faça a criança se curvar

- Se o peso do material ultrapassar 10% do peso da criança, a melhor opção é a mala com rodinhas, que deve ser levada com uma mão e na posição vertical

- Modelo mais adequado deve ter duas alças largas e acolchoadas e cinto abdominal

- Usar as duas alças sempre juntas

- Usar o conto abdominal para fixá-la próximo ao corpo

 

Em casa

Na hora de assistir à TV, o correto é sentar com os glúteos inteiros no sofá

Quando estiver sentado, apoie os pés no chão, encoste totalmente a coluna no encosto e os cotovelos na mesa

Quando for ao supermercado, divida o peso das compras dos dois lados para não sobrecarregar apenas um lado

 

13/03/2019