Secretaria de Saúde promove Dia Mundial do Autismo, 2 de abril

Data mobiliza a sociedade para a conscientização do transtorno e a importância do diagnóstico

A Secretaria de Saúde de Valinhos, através do Departamento de Programas e Projetos em Saúde, promove o Dia Municipal de Conscientização do Autismo, em 2 de abril. Mesmo com a pandemia do coronavírus, que impôs quarentena e uma nova rotina ao município, a Secrtaria de Saúde alerta sobre a importância de debater o assunto.

A detecção precoce do autismo, principalmente antes dos 3 anos de idade, pode garantir atendimento necessário nas áreas da saúde, educação, esporte, lazer, cidadania, para que a criança e sua família tenham uma vida independente e saudável.

Quanto mais cedo for feito o diagnóstico e o início do tratamento, menor será o impacto do transtorno no futuro para o portador.

O autismo é um prejuízo na interação social, afeta a forma como uma pessoa percebe o mundo e se socializa. Estima-se que uma em cada 160 crianças tenha o transtorno. Por definição, ele ocorre antes dos 3 anos de idade e é em torno de quatro a cinco vezes mais frequentes nos meninos.

De acordo com o psiquiatra Luis Fernando Beloti, a causa do autismo ainda é desconhecida, mas tem forte relação genética. “Os pais da criança precisam ter ciência de que, se existe um parente que tem o diagnóstico de autismo, eles devem ficar mais atentos ao desenvolvimento de seus filhos, para que, observando uma eventual alteração de comportamento, a criança seja rapidamente avaliada, tanto por um pediatra, quanto por psiquiatras da rede básica de saúde”, explicou.

O especialista enfatiza que a vacinação não é causadora de autismo. “Os pais não devem evitar a vacinação de seus filhos com medo que eles venham a desenvolver o transtorno”, afirmou.

Sinais do autismo

Alguns destes comportamentos podem ser observados pelos pais e servir de alerta sobre a suspeita do transtorno:

- A criança demora para falar as primeiras palavras ou evita o uso da palavra na comunicação. 

- A criança pode querer assistir ao mesmo desenho ou brincar com o mesmo brinquedo durante muitas horas do dia, se recusando a mudar de atividade.

- Na escola, a criança pode querer ficar sozinha ou se sentir desconfortável ou irritada quando é obrigada a ficar em uma roda com outras crianças.

- A criança pode não querer determinados tipos de comida ou ficar muito incomodada de sujar as suas mãos.

- A criança pode evitar ter contato físico com outras, como beijos e abraços.  

- Alguns tipos de sons podem deixar a criança mais irritada, como barulhos altos e agudos.

25/03/2020