Valinhos discute a reabertura de parte do comércio com restrições

A Prefeitura de Valinhos discute um plano de reabertura de parte do comércio, com uma série de restrições, para ser implementado a partir da próxima semana. A retomada desses serviços foi liberada na última quarta-feira (27) pelo Governo do Estado a partir de 1º de junho (segunda-feira). Para que entre em vigor, a determinação vai seguir as diretrizes da Secretaria da Saúde e do Governo do Estado e tem que ser publicada como decreto no Boletim dos Atos Oficiais da Prefeitura. O processo será acompanhado pelo Ministério Público.

A Prefeitura tem seguido todas as diretrizes fixadas pelo Governo do Estado quanto ao isolamento na pandemia, e vai manter essa linha de ação no momento de retomada das atividades. 

Uma reunião foi realizada na tarde de quarta-feira (27) na Prefeitura para discutir detalhes desse plano. Participaram o prefeito Orestes Previtale Júnior, o chefe de Gabinete, Carlos Roberto Tosto, representantes da área de Saúde e Vigilância Sanitária, o secretário de Desenvolvimento Econômico, Luis Gustavo Previtali, o comando da Guarda Civil Municipal e representantes dos setores produtivos da cidade, como comércio de rua, indústria, segmentos de óticas e beleza, além do Shopping Valinhos.

O diálogo em torno do plano havia sido aberto 20 dias atrás, quando a Prefeitura apresentou ao setor produtivo uma sugestão de plano de retomada para quando isso fosse possível. 

Critérios

Para adotar a liberação, o Governo do Estado informou que avaliou todos os municípios de São Paulo em relação a leitos e casos de covid-19 e a curva de evolução da doença. As regiões foram divididas em grupos, e as liberações serão individualizadas, de acordo com o resultado de cada avaliação regional.

Valinhos está inserida na região de Campinas, que está na fase 2 do mapa (cor laranja). Há regiões com possibilidade de liberação de mais setores da economia, como as de Presidente Prudente e Barretos (cor amarela), mas há regiões onde as liberações não vão acontecer na próxima semana, como a Grande São Paulo e a Baixada Santista (cor vermelha).

Setores liberados

Além dos serviços essenciais, que estão em funcionamento durante o período da quarentena, o mais recente decreto estadual permite a abertura com restrições dos seguintes setores na região laranja (Fase 2), onde está Valinhos:

- Atividades imobiliárias

- Concessionárias de veículos

- Escritórios de forma geral

- Comércio de rua

- Shopping centers

Na reunião de quarta-feira, o prefeito enfatizou que vai informar ao Ministério Público as medidas que serão adotadas para liberação. Esse canal de comunicação com o MP tem sido utilizado em todas as decisões adotadas pela Prefeitura e que estão relacionadas à pandemia do coronavírus.

Segundo o prefeito, em caso de desrespeito ao isolamento social e às regras publicadas, ou ainda no caso de um aumento significativo de casos de covid-19, é possível que a cidade toda volte ao regime de isolamento completo, só com atividades essenciais em funcionamento. "Não podemos ignorar que a proposta de liberação de alguns setores deve ser avaliada dentro de um contexto que considera os dados da Saúde e a questão das regras impostas para essa liberação. Se houver um relaxamento geral da cidade e as regras não forem respeitadas, não iremos pensar duas vezes para voltar atrás imediatamente", disse.

Todos os presentes concordaram.

Restrições

O plano em discussão prevê que, para os estabelecimentos retornarem às suas atividades, devem antes, obrigatoriamente, realizar uma capacitação (presencial ou on-line) de seus colaboradores no sentido de orientar a responsabilidade social e os cuidados sanitários e de higiene necessários para ajudar no controle da pandemia. A capacitação deve:

- Promover práticas de etiqueta de higiene pessoal nos estabelecimento, com fornecimento e incentivo ao uso correto de álcool  gel e/ou pia com sabonete líquido para lavagem de mãos para funcionários e clientes.

- Incentivar uso correto e obrigatrório de máscaras de proteção.

- Incentivar as novas práticas corretas de convívio, como cobrir o rosto ao espirrar ou tossir, evitar contato físico, como apertos de mão, beijos e abraços.

- Proibir qualquer tipo de aglomeração.

Além disso, detalhes como a quantidade de pessoas que podem estar ao mesmo tempo em cada tipo de estabelecimento estão sendo avaliados pela Secretaria da Saúde, assim como os horários de funcionamento de cada setor.

As empresas que estiverem abertas vão precisar ainda seguir uma série de regras, como distanciamento de 2 metros entre as pessoas; intensificar a limpeza e desinfecção dos estabelecimentos, em especial em locais frequentemente tocados como portas, balcões e maçanetas; incentivar que os funcionários trabalhem em horários alternados para evitar que todos estejam ao mesmo tempo nos estabelecimentos; impedir que os funcionários doentes trabalhem; estabelecer rotina para verificações diárias de saúde dos funcionários.

Abertura de atividades de escritório (tais como imobiliária, engenharia, arquitetura,  advocacia, contabilidade, turismo) deve ser feita considerando ambientes com ventilação natural e sempre respeitando distanciamento entre os profissionais. As viagens a trabalho devem ser evitadas.

As regras valem também para os consumidores. A Vigilância Sanitária e a Guarda Municipal vão fazer a fiscalização.

Outros setores

A abertura de academias de ginástica e congêneres, assim como o segmento de beleza e estética (salões de beleza, barbeiros e congêneres), está prevista pelo decreto estadual para uma segunda etapa da flexibilização, duas semanas depois dessa primeira. "São apenas duas semanas a mais. É importante que essas empresas respeitem a determinação e nos ajudem a começar essa transição, e só retomem suas atividades quando estiverem de fato liberadas. Caso contrário, corremos o risco de voltar à estaca zero", disse o secretário Luis Gustavo.

Segundo o decreto estadual, escolas estaduais, municipais e particulares, incluindo universidades, devem se manter fechadas, assim como espetáculos de teatro, cinemas e atividades esportivas.

Pelo decreto estadual, os serviços de alimentação não poderão abrir nessa primeira fase para consumo no local, mas seguem operando com serviços de entrega e drive thru.

Empresas de todos os segmentos devem considerar implantação de horas de trabalho escalonadas para reduzir a aglomeração no transporte público durante o horário de pico de  deslocamento e evitar aglomerações dentro das empresas (refeitórios, cantinas, espaços  comuns) para trabalhadores cuja natureza da função não permita trabalho remoto;

Empresas de todos os segmentos devem aumentar a frequência de limpeza de superfícies  frequentemente tocadas (por exemplo, telefones, botões de elevador, computadores,  mesas, mesas de almoço, cozinhas, banheiros, caixas registradoras, áreas de estar,  contadores de superfície, balcões de atendimento ao cliente, bares, mesas/menus de  restaurantes).

 

28/05/2020