Valinhos liderou geração de emprego na RMC em 2017

Valinhos fechou o ano de 2017 como a cidade que mais gerou empregos entre os 20 municípios que integram a Região Metropolitana de Campinas (RMC). Foram, ao todo, 830 vagas abertas no ano. O cálculo leva em consideração as admissões e as demissões formais em todos os setores da economia no período pesquisado.

Os números mostram que Valinhos anda na contramão em relação ao restante do Brasil. A taxa de desemprego em 2017 chegou a 12,7%, maior índice da série histórica da Pnad (Pesquisa Nacional de Amostra por Domicílio Mensal), medida pelo IBGE desde 2012. Isso significa que, em média, havia 13,23 milhões de desempregados no ano passado, o maior contingente de pessoas sem trabalho dos últimos seis anos.

Na RMC, apenas 12 dos municípios finalizaram o ano passado com mais contratações do que demissões. Depois de Valinhos, em segundo lugar aparece Nova Odessa, com 707 vagas, seguida de Jaguariúna, com 595 novos empregos criados. No total, com a soma de todos os municípios, o resultado do bloco foi negativo: -694 postos formais.

Campinas, que é a maior cidade da região, teve desempenho negativo e viu serem frechadas 837 vagas em 2017. Entre as cidades que mais perderam vagas aparecem ainda Paulínia, Morungaba e Americana (veja quadro abaixo).

O desempenho de Valinhos no último ano fica mais expressivo quando os números são comparados com 2016, quando a cidade teve um resultado negativo e perdeu 115 vagas formais de trabalho.

“Estamos trabalhando para atrair empresas e para dar condições a quem já está em Valinhos de gerar empregos. A crise atingiu a região de forma contundente, mas acredito que estamos caminhando para superar mais esse momento”, disse o prefeito de Valinhos, Orestes Previtale.

Especialistas endossam as palavras do prefeito. Em entrevista ao jornal Correio Popular, Rinaldi da Silva Correa, coordenador de pós-graduação da área de Gestão e Recursos Humanos do Senac (Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial), afirma que a tendência é de uma mudança de cenário ainda em 2018.

“Uma análise mais macro mostra que o emprego vem reagindo no país. O ritmo, contudo, ainda é lento. Neste ano, a estimativa da Fundação Getúlio Vargas (FGV) é de criação de milhão de novos empregos. O governo tem números ainda mais animadores, com previsão de 2,5 milhões de novas vagas”, disse.

 

O ranking

Positivo

1 – Valinhos: +830

2 - Nova Odessa: +707

3 – Jaguariúna: + 565

4 – Holambra: +536

5 – Santo Antônio de Posse: +495

6 – Itatiba: +474

7 – Engenheiro Coelho: +262

8 – Monte Mor: +241

10 – Sumaré: +142

11 – Pedreira: +136

12 – Artur Nogueira: +8

 

Negativo

1 – Paulínia: -1.287

2 – Campinas: -837

3 – Morungaba: -746

4 – Americana: -663

5 – Hortolândia: -533

6 – Indaiatuba: -472

7 – Cosmópolis: -420

8 – Vinhedo: -1

Fonte: Caged

 

 31/1/2018