Merenda Escolar terá bombom e barra de cereal

A merenda escolar de Valinhos passará a contar com duas novidades no cardápio a partir do segundo semestre deste ano: bombom e barra de cereal. A decisão pela introdução dos novos itens foi tomada pelo prefeito Marcos José da Silva, após a realização de uma pesquisa pela Secretaria da Educação junto a cerca de 500 alunos de 10 escolas que recebem a alimentação municipal. Entre os itens solicitados o bombom foi um dos mais lembrados.
Os alunos, tanto da rede municipal quanto das escolas estaduais e Sesi, passarão a ter a novidade no cardápio a partir do dia 28 de julho, quando recomeçam as aulas do segundo semestre. Segundo o secretário da Educação, Zeno Ruedell, o bombom, especificamente, será distribuído somente quando estiver frio e não terá uma periodicidade, porque será oferecido como complemento ao cardápio principal. “Assim como distribuímos o picolé nos períodos de calor, o bombom será dado apenas na época do frio, como uma sobremesa, complementando a refeição”, destacou.
As nutricionistas do Departamento de Merenda Escolar, Solimar Fernandes e Jéssica Franco, destacaram que no final de 2009 foi feita uma pesquisa com cerca de 500 alunos de 10 escolas que recebem a alimentação municipal, e entre os itens solicitados o bombom foi um dos mais lembrados. “Outros itens foram apontados pelos alunos, mas optamos pelo bombom, que atende as exigências do PNAE (Programa Nacional de Alimentação Escolar) em níveis de calorias e proteínas”, destacou Solimar.
Ao todo, a Prefeitura de Valinhos distribui diariamente 25 mil refeições, para todos os alunos da Rede Municipal (49 unidades entre Cemei e Emeb), Estadual (sete unidades) e Sesi (quatro unidades).

Particularidades
O cuidado com a alimentação escolar é uma prioridade na administração do prefeito Marcos. Tanto que a Secretaria da Educação mantém uma atenção especial aos alunos diabéticos e intolerantes a lactose.
No caso da barra de cereal e bombom, a Secretaria de Educação comprou unidades diet para os estudantes que têm problemas com diabetes. “A mesma atenção já tínhamos com o picolé, preocupados com o bem-estar de cada aluno”, disse Zeno. Segundo ele, são bem poucos alunos nessa situação, em torno de 40 nas Cemeis e em torno de 50 nas Emebscom intolerância a lactose. Para os estudantes com esse tipo de intolerância será servido também leite de soja, que exerce importante papel na regulação dos níveis de glicose no sangue, pois retarda a sua absorção. Segundo as nutricionistas da rede municipal, essa redução na velocidade da absorção da glicose auxilia no controle da diabetes.