Exploração sexual de crianças e adolescentes é tema de palestra e ações educativas

18-palestra

Denuncias podem ser feitas pelo Disque 100, serviço telefônico federal

O Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, celebrado no dia 18, foi tema de palestra durante sessão da Câmara, na terça-feira (16), explanada por representante da Casa da Criança e do Adolescente da cidade. A Prefeitura também promoveu ações educativas junto aos alunos das Escolas Municipais de Educação Básica (Emeb) Cecília Meireles e Luiz Antoniazzi.

Em Valinhos, a Lei Municipal Nº 5.344/2016 institui a Semana de Conscientização Contra Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes na segunda semana de maio. A motivação da celebração da data foi reforçada pela coordenadora da Casa da Criança, Adriana Simões. Segundo ela, é necessária a prática se aliar a teoria, sendo preciso haver um dia nacional para a reflexão. “Não seria necessário, mas tem que ter ainda hoje esta data”, avaliou.

Ela lembrou também que os abusos às crianças e adolescentes ocorrem em Valinhos. Em 2014, foram registrados sete casos de violência e, no ano seguinte, foram oito registros. “Mas os números não são precisos”, instigou Adriana, que ainda aguarda as estatísticas dos dois últimos anos.

A data também está em evidência na Rede Municipal de Ensino, que promoveu ações para sensibilização de alunos das Escolas Municipais de Educação Básica (Emeb) Cecília Meireles, com estudantes do 5º ao 9º ano, e na Luiz Antoniazzi, para o 9º ano.

As ações, iniciadas desde a última quinta-feira (11), incluem exibição de filmes e debate, prevenindo também o uso das novas tecnologias e o combate ao suicídio e à violência. A iniciativa é uma realização conjunta das Secretarias da Educação e da Saúde, por meio do programa Casa do Adolescente e Centro de Atenção Psicossocial Infantil (CAPS-I).

De acordo com o Disque 100, um serviço telefônico federal de recebimento, encaminhamento e monitoramento de denúncias de violação dos direitos humanos, estima-se que a cada 24 horas 320 crianças e adolescentes são explorados sexualmente no Brasil.

Basta – A data foi escolhida porque em 18 de maio de 1973, na cidade de Vitória (ES), ocorreu um crime que chocou País e até hoje impune, ficando conhecido como o Caso Araceli. Esse era o nome de uma menina de apenas oito anos, que foi raptada, estuprada e morta por jovens de classe média alta daquela cidade.

A data foi instituída pela Lei Federal Nº 9.970/2000. A data visa mobilizar, sensibilizar, informar e convocar a sociedade para a luta dos direitos das crianças e adolescentes.

 

18/05/2017