Ir para o conteúdo

Prefeitura de Valinhos e os cookies: Nosso site usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Ao continuar você concorda com a nossa Política de Cookies e Privacidade.
OK
Prefeitura de Valinhos
Acompanhe-nos:
Rede Social Facebook
Rede Social Flickr
Rede Social Youtube
Notícias
Enviar para um amigo!
Indique essa página para um amigo com seus dados
Obs: campos com asterisco () são obrigatórios.
Enviando indicação. Por favor, aguarde...
NOV
30
30 NOV 2022
FUNDO SOCIAL
GABINETE DA PREFEITA
Fundo Social inicia produção de doce do figo para a 72ª Festa do Figo e 27ª Expogoiaba de Valinhos
enviar para um amigo
receba notícias

A produção da compota de figo rami, servida tradicionalmente no estande do Fundo Social de Solidariedade (FSS) na Festa do Figo e Expogoiaba, começou na última terça-feira (29). Feita por merendeiras da Rede Municipal de Ensino da cidade e por voluntárias, a receita leva figo, açúcar e água, além do ingrediente especial. “Fica bom porque tem amor. Tem o amor em poder contribuir com a festa da cidade”, dizem elas. O preparo começa por uma rigorosa inspeção e higienização à “fruta” e termina com a apuração, no dia seguinte, após o descanso do doce. A primeira remessa foi feita com 20 quilos de figo.

Para quem não sabe, o figo não é fruta e sim, flor. O início desta primeira remessa de compota serve para avaliar a produção do doce. “Tem muito figo verde e a receita pede os maduros. Então, será preciso esperar amadurecer”, explicou o diretor do Fundo Social, Fábio Cuono. Nesta primeira leva, resultou em três tachos de doces.

Segundo o diretor, houve reunião com os produtores, para definição da quantidade necessária para a festa. "Já é tradição os produtores, gentilmente, se prontificaram a nos fornecer para a produção deste ano", comentou o diretor. Seguindo os padrões das outras festas, serão utilizados 220 quilos de sorvetes, servidos com a compota, e também 54 litros de chantilly, que são oferecidos com o doce, além dos shakes de figo e goiaba, considerados um sucesso.

As merendeiras e voluntários estão sob a supervisão da  Marilene Santos que aperfeiçoou as receitas do shake de figo e goiaba. Modesta, ela afirma que veio dar apoio à produção, apesar de ter experiência de mais de 12 anos em voluntariado da festa. O shake existe há nove anos. “Os turistas vinham e sempre queriam algo novo em relação à “fruta”. Então, fiquei testando para criar uma receita”, explicou o surgimento da bebida. 

Produção
O início da produção da compota começa com a lavagem da “fruta” com esponjas, para que fique bem limpa. As merendeiras e voluntárias analisam o estado do figo rami. “Não podem estar verde, mas também não podem passar do ponto, porque podem estragar o tacho inteiro, azedando”, afirma a merendeira, Maria Aparecida da Silva de Souza, atuando há 25 anos na Rede de Ensino. 

Após a seleção, os figos ficam de molho, são retirados o excesso de cabo e partido em quatro. A merendeira Selma Penha Magalhões, 24 anos na Rede de Ensino, coloca os figos, forrando o tacho, subindo em camadas. “A gente coloca os menos maduros embaixo, para cozinhar tudo por igual”, explica ela. 

Com água e açúcar, o tacho da “fruta” ferve durante oito horas, em média, enquanto elas se revezam para retirar as possíveis impurezas. “São oito horas para cozinhar o figo e, no dia seguinte, após o descanso do doce, a gente apura a compota. São dois dias para fazer a compota”, completou a voluntária Mafalda Trompetta Mayr. 

Apesar do trabalho, elas dizem que o amor transforma o figo em doce. “Aqui somos uma família”, finalizam.

 

 

Autor: Departamento de Comunicação - Prefeitura de Valinhos
Local: Valinhos - SP
Seta
Versão do Sistema: 3.2.10 - 11/01/2023
Copyright Instar - 2006-2023. Todos os direitos reservados - Instar Tecnologia Instar Tecnologia