Ir para o conteúdo

Prefeitura de Valinhos e os cookies: Nosso site usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Ao continuar você concorda com a nossa Política de Cookies e Privacidade.
OK
Prefeitura de Valinhos
Acompanhe-nos:
Rede Social Facebook
Rede Social Flickr
Rede Social Youtube
Notícias
Enviar para um amigo!
Indique essa página para um amigo com seus dados
Obs: campos com asterisco () são obrigatórios.
Enviando indicação. Por favor, aguarde...
SET
22
22 SET 2022
FUNDO SOCIAL
GABINETE DA PREFEITA
Em mais uma ação da Prefeitura no Setembro Amarelo, Fundo Social traz nova palestra sobre suicídio com foco no comportamento
enviar para um amigo
receba notícias
O Fundo Social da Prefeitura de Valinhos realizou nesta quarta-feira (21) mais uma palestra sobre suicídio, dentro da programação do Setembro Amarelo da Prefeitura de Valinhos. O terapeuta Alexandre Chaves Costa abordou o tema "A máscara do Sofrimento – Aprenda a Desmascarar seu Sofrimento e Viva a Felicidade Emocional", explanando sobre a existência de duas forças propulsoras e conflitantes, a de vida e de morte. Sem negar as emoções, para ter uma vida saudável é preciso alimentar o lado positivo no dia a dia.

“O autoconhecimento é muito importante. A gente precisa se conhecer para lidar com as nossas emoções, porque todo mundo tem dias ruins e dia bons. Mas é preciso escolher e alimentar o que nos faz bem. Sei que não é fácil, mas devemos lutar para ter uma vida com qualidade”, comentou a prefeita Lucimara Godoy.

Para o diretor do Fundo Social, Fábio Cuono, esta palestra foi muito interessante, porque trouxe outra abordagem sobre o assunto. “O que buscamos com este ciclo de palestras e' apresentar diferentes análises para despertar quem precisa de mudança. Esperamos que estas várias visões possa fazer a diferença na vida de quem mais precisa”, afirmou o diretor.

Rabiscando o desenho de um rosto, o terapeuta Alexandre Chaves Costa explicou que nascemos com as duas forças propulsoras, mas é preciso reconhecer e entender as emoções. “O autoconhecimento é muito importante. As duas forças de pulsão de vida e de morte são conflitantes e nos levam a certas situações, comportamentos e atitudes, que em última instância pode nos levar ao suicídio”, iniciou o palestrante. 

Segundo ele, a força de vida é ativa, enquanto a outra é passiva. Para explicar como se deve lidar diariamente com ambas as forças, ele usou o interruptor de luz do salão do Fundo Social. Para ele, devemos “apagar” a força negativa, dando vida ao positivo. “O passivo subsiste se a força do bem estiver inativada. A força negativa existe, mas ela deixa de se manifestar se você ativar o lado bom. Tudo o que você põe foco, expande. Se colocar foco no lado negativo, vai virar um dragão a sua vida. Se focar no positivo, o dragão vira um gatinho”, comparou.

Para finalizar, ele afirmou que o todos os seres são conflitantes. “Mas podemos nos olhar com mais misericórdia. Você não precisa ser perfeito, porque errar faz parte deste processo”, ensinou o terapeuta. Conforme ele, devemos ser mais complacente consigo mesmo. “Tudo bem errar hoje, porque amanhã é outro dia. O passivo vive do passado e do futuro, das mágoas e do que ainda não existe. O ativo é viver hoje, com o pensamento: hoje vou fazer”, completou ele, lembrando que não se deve viver o hoje com cobranças.

Conhecimento
“Ter mais informação sobre o assunto é muito importante, principalmente porque estamos saindo de uma pandemia, em que ficamos fragilizados”, acredita a moradora do Bairro Santa Cruz, Sueli de Campos Bento Ferreira. Para ela, é preciso que reconhecer que a questão é séria e se cuidar sempre. “Ter informação permite que possa ajudar mais os outros e a si mesmo”, afirmou ela.

Já a valinhense A.R.B, tentou suicídio e se internou por cinco meses, com reforço de mais três meses, no ano passado. “É bom contar isto (sobre o suicídio). Assim as pessoas entendem que não acontece só com elas. É preciso procurar ajuda”, orientou A.

Segundo ela, tem um quadro de depressão em tratamento. “Eu vim hoje para aprender mais, para poder ficar mais forte”, explicou. Para ela, se não se ativa o lado bom, a vida fica “pesada”. “Estava carente, tinha problemas com a família, com filhos, estava passando por um divórcio. É preciso uma palavra de conforto, mas é preciso procurar ajuda, com um médico, com um psicólogo. É preciso ter com quem conversar”, revela A, acrescentando a importância de ter fé.








 
Autor: Departamento de Comunicação - Prefeitura de Valinhos
Local: Valinhos - SP
Seta
Versão do Sistema: 3.2.8 - 16/11/2022
Copyright Instar - 2006-2022. Todos os direitos reservados - Instar Tecnologia Instar Tecnologia