Ir para o conteúdo

Prefeitura de Valinhos e os cookies: Nosso site usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Ao continuar você concorda com a nossa Política de Cookies e Privacidade.
OK
Prefeitura de Valinhos
Acompanhe-nos:
Rede Social Facebook
Rede Social Flickr
Rede Social Youtube
Notícias
Enviar para um amigo!
Indique essa página para um amigo com seus dados
Obs: campos com asterisco () são obrigatórios.
Enviando indicação. Por favor, aguarde...
JUL
28
28 JUL 2022
DAEV
Com mananciais internos abaixo dos 70%, Valinhos implementa a bandeira laranja
enviar para um amigo
receba notícias
PROCESSANDO ÁUDIO
Objetivo é resguardar a reservação de água bruta nas barragens municipais; população deve economizar água


Dados divulgados pelo Departamento de Operação, do Departamento de Águas e Esgotos de Valinhos (DAEV), indicam que as barragens municipais chegaram a 67,70% de seu volume útil. O volume de reservação está em 307,7 milhões de litros. A partir do percentual, Valinhos passa a adotar a bandeira laranja do plano de enfrentamento à crise hídrica. Os dados são da tarde desta quarta-feira, 27 de julho.

A partir da instituição da bandeira laranja, a Municipalidade indica para a população que os mananciais estão com diminuição acentuada do nível ou vazão, com redução na captação normal e necessidade de captações emergenciais, com possibilidade de comprometimento do abastecimento. “A nova faixa do plano leva em conta a situação dos reservatórios, justamente para poupá-los diante à estiagem que se apresenta. Para enfrentamento da escassez de chuvas, inclusive, estamos com várias ações em andamento e que promovemos com o objetivo de buscar mais capacidade hídrica à cidade, além de estarmos acompanhando, de perto, as condições operacionais existentes a fim de se evitar ao máximo o comprometimento do abastecimento", falou a prefeita Capitã Lucimara. 

A captação no Rio Atibaia segue sem restrições. Na manhã de hoje (28) o rio apresentava vazão de 10,12m³/s e nível de 0,90m, valores 25,05% e 9,31% abaixo das médias históricas esperadas ao período, respectivamente. Ainda em relação à mesma data do ano passado, a vazão do Rio Atibaia está 6,69% abaixo do identificado em 28 de julho de 2022.  O Cantareira chegou aos 36,50% de volume útil na manhã desta quinta-feira. Os dados são do Consórcio PCJ.

Outra informação relevante do PCJ – e que fortaleceu a necessidade de mudança de bandeira em Valinhos – compreende a escassez de chuvas (que são responsáveis pela recarga dos mananciais). Na cidade elas somam, até o momento, o acumulado de apenas 1,40mm em julho, ou seja, somente 4,3% do que era previsto para o período (32,67mm). Neste ano, apenas choveu em cima da média nos meses de janeiro e março.

Os dados percentuais de operação – que indicam a capacidade hídrica da cidade – são disponibilizados de forma periódica, para consulta dos cidadãos, no site do Departamento de Águas e Esgotos de Valinhos (www.daev.org.br), na Sala de Situação que fica na página principal.

Ações mitigadoras

Como medidas de enfrentamento ao período, Valinhos está com obras e serviços que aumentam a capacidade de captação, adução, tratamento, reservação ou distribuição de água.

Entre elas estão as obras de execução da segunda linha de adução do Rio Atibaia, para captação de mais 90 litros por segundo, atualmente em andamento. O trecho por gravidade (2,2 mil metros), por exemplo, está previsto para ser finalizado até 17 de agosto, para disponibilidade de 35 litros por segundo ao sistema, sendo que a obra ainda seguirá com o trecho de recalque (1.634 metros).

A Autarquia Municipal também anunciou o início de operação do poço nº 5, no São Bento do Recreio, que provê ao sistema de abastecimento do bairro a média de 3,8 mil litros por hora; e a finalização de interligação do reservatório do Santo Antônio (prevista para acontecer em agosto de 2022).

Neste ano a cidade ainda conta com a reutilização da água de lavagem dos filtros nas Estações de Tratamento de Água (ETA). Além disso, também está em andamento a troca da antiga rede de distribuição de água tratada nos bairros Vila Santana, Jardim Pinheiros e Parque Santana.

Outro reforço importante é a compra da água tratada de Campinas, por meio de aquisição por atacado da SANASA. O fornecimento intermunicipal tem sido, em média, de 16 litros por segundo. De 28 de junho até às 8 horas de 26 de julho foram utilizados 39.215,40m³.

Economize água já

Para que a cidade fique longe do racionamento, a população tem papel fundamental. "A adoção de medidas simples ajuda a poupar o recurso, tais como desligar a torneira ao se ensaboar durante o banho e diminuir o tempo embaixo da água do chuveiro, desligar a torneira ao escovar os dentes, limitar o uso da máquina de lavar e reaproveitar a água resultante para higienização de áreas internas e externas, entre outras ações que colaboram na economia de água neste período de ausência de chuvas", falou o presidente do DAEV, o engenheiro civil e sanitarista, Walter Gasi.

O desperdício de água tratada, inclusive, passou a ser passível de multa em Valinhos. São consideradas formas de desperdício de água tratada a sua utilização para lavagens de quintais, telhados, calçamentos e passeios públicos residenciais e comerciais, bem como para o uso em piscinas e similares, assim como a lavagem de veículos automotores no âmbito residencial e irrigação de jardins (excetuando-se os estabelecimentos com alvará à atividade). A água de reuso não tem aplicabilidade de multa.

As denúncias devem ser formalizadas à Central de Atendimento do DAEV, por meio do telefone 0-8000-13-3839.

Autor: Departamento de Comunicação - Prefeitura de Valinhos
Local: Valinhos
Seta
Versão do Sistema: 3.2.6 - 05/09/2022
Copyright Instar - 2006-2022. Todos os direitos reservados - Instar Tecnologia Instar Tecnologia