Ir para o conteúdo

Prefeitura de Valinhos e os cookies: nosso site usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Ao continuar você concorda com a nossa Política de Cookies e Privacidade.
ACEITAR
PERSONALIZAR
Política de Cookies e Privacidade
Personalize as suas preferências de cookies.

Clique aqui e consulte nossas políticas.
Cookies necessários
Cookies de estatísticas
SALVAR
Prefeitura de Valinhos
Acompanhe-nos:
Rede Social Instagram
Rede Social Facebook
Rede Social Youtube
Notícias
Enviar para um amigo!
Indique essa página para um amigo com seus dados
Obs: campos com asterisco () são obrigatórios.
Enviando indicação. Por favor, aguarde...
MAR
13
13 MAR 2023
SAÚDE
Por meio de convênio com a Prefeitura de Valinhos, Apae inicia atendimento a mais 150 pacientes com autismo
enviar para um amigo
receba notícias

Após avaliação individual, 60% iniciaram o acompanhamento e as atividades de estímulo; os demais já estão no pré-atendimento

O atendimento aos novos pacientes com Transtorno do Espectro Autista (TEA) por meio de convênio entre a Prefeitura de Valinhos e a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais de Valinhos (Apae) começou neste mês, quando 90 crianças já iniciaram o acompanhamento e as atividades de estímulo. O número representa 60% do total de 150 pacientes que estão sendo chamados e estão na fase do pré-atendimento para confirmação do diagnóstico. 

Neste ano, por meio da Secretaria de Saúde, a Prefeitura ampliou o convênio com a Apae com foco na demanda de pacientes com TEA. Antes, ao todo, 370 pessoas eram assistidas pela entidade por meio deste convênio municipal. Em 2023, o número chegará a 520, 40% a mais.

A coordenadora da área da Saúde da entidade, Márcia Haguiuda, explica que o munícipe que precisa de atendimento especializado deve primeiro passar por um serviço referenciado da rede municipal, como uma Unidade Básica de Saúde (UBS), o Centro Municipal de Atendimento Psicopedagógico e Fonoaudiológico (CEMAP) ou o Centro de Atenção Psicossocial (CAPS), que fazem o encaminhamento. “Esses pacientes que iniciariam as atividades já tinham esse encaminhamento”, explica.

Ao serem chamados pela Apae, passam por todas as avaliações técnicas necessárias, incluindo o trabalho de uma equipe multidisciplinar, formada por fonoaudiólogo, fisioterapeuta, terapeuta ocupacional e nutricionista, além do neurologista, que emite o laudo que atesta o TEA ou a deficiência intelectual, como também é constatado.
 
“Essa avaliação prévia é importante porque é a partir do diagnóstico que a Apae faz o plano terapêutico individual, personalizado, para estabelecer métodos de como o paciente vai ser estimulado”, explicou a coordenadora.
 
O atendimento para TEA é baseado neste plano terapêutico singular, em que a equipe observa o que é disfuncional e funcional, o que é necessário para evoluir no tratamento, além de estimular as habilidades que o paciente possui. “Tudo é alinhado com a família”, reforça. 

O serviço da área da Saúde da Apae acontece no Centro Clínico Ambulatorial que realiza atendimento de uma a duas vezes na semana, com terapias de 30 a 50 minutos dependendo do paciente. Os atendimentos são feitos de forma individual, em dupla ou em grupos, nos casos em que o paciente se beneficie do aprendizado coletivo.

“Por determinação da prefeita Capitã Lucimara, estamos nos empenhando para atender essa demanda de pacientes que estão em transtorno do espectro autista na cidade. Para isso contamos com a parceria com a Apae, fundamental neste processo”, afirmou o secretário da Saúde, Marcelo Cosentini.

A Apae atende pacientes com TEA de 0 anos até idosos. No entanto, a faixa etária desta demanda é de crianças é de 0 a 8 anos. 

Obras

Com o aumento da demanda e a celebração do convênio entre a Prefeitura e a Apae, a entidade precisou reestruturar o ambiente para comportar a contratação de mais profissionais. Através de verbas parlamentares foram adquiridos móveis e materiais de escritório e construídas quatro novas salas para comportar a nova equipe multidisciplinar, além de adequações como instalação de redes de proteção das escadas, janelas e guarda-corpo, instalação da parte elétrica e a pintura do local. 

Além disso, para atender aos 150 novos pacientes, já foram contratados mais um terapeuta ocupacional e um psicólogo. Ainda é necessária a contratação de um fonoaudiólogo e mais um terapeuta ocupacional para compor a equipe.
Autor: Departamento de Comunicação - Prefeitura de Valinhos
Local: Valinhos - SP
Seta
Versão do Sistema: 3.4.1 - 29/04/2024
Copyright Instar - 2006-2024. Todos os direitos reservados - Instar Tecnologia Instar Tecnologia